Uso dos termos “city” e “town”

12 de setembro de 2016

Olá, pessoal!

Na postagem de hoje vamos abordar um assunto que costuma gerar dúvida em muitos estudantes da língua inglesa: qual é a diferença entre city e town?

Ambas as expressões são traduzidas simplesmente como “cidade”. Porém, há uma pequena diferença entre elas no que se refere ao seu uso. Veja:

City é o termo usado quando nos referimos a uma cidade grande, com aspecto metropolitano. O vocábulo town, por outro lado, é usado para uma cidade menor, que não chega a ter um porte mediano.

Há, porém, alguns usos estranhos, que contrariam essa explicação, mas que devem ser aceitos. Veja, por exemplo, o seguinte: Nova Iorque e Londres são duas cidades enormes, consideradas metrópoles. Entretanto, dizemos New York City, ao passo que os ingleses chamam Londres de London Town.

Então, há certa relatividade no emprego dessas duas palavras, pois seu uso varia de acordo com a região em que se está. Nos Estados Unidos, por exemplo, há estados em que todas as cidades, independentemente do tamanho, são chamadas de “city”. Noutros, podem ser chamadas de “city” ou “town”, conforme o tamanho da população. Na Inglaterra, por outro lado, para uma cidade ser classificada como “city”, é necessária uma concessão por parte da monarquia.

Se você tem alguma informação a acrescentar, deixe um recadinho aqui no blog. Sempre ficamos felizes quando você participa!

 

Um grande abraço,

Professor Angelo

Uso do verbo auxiliar “did”

10 de agosto de 2016

Muitas pessoas ficam confusas com o uso dos verbos auxiliares em inglês. Porém trata-se de algo muito simples, muito mais fácil do que imaginamos! Hoje, vamos falar do auxiliar “did”.

Incialmente é importante ressaltar que ele é usado exclusivamente:

1)    no passado;

2)    em frases negativas (coloca-se “did not” antes do verbo, lembrando que “did not” pode ser contraído para “didn’t) e interrogativas (coloca-se “did” antes do sujeito).

Também é de muito valor destacar que ele jamais será usado:

1)    em frases afirmativas no passado;

2)    quando houver o verbo “to be” (was, were).

Lembre-se de que em frases negativas e interrogativas que têm o auxiliar “did”, o verbo principal não será aplicado no passado, mas na forma do presente, pois o “did” já nos mostra que a frase se refere ao passado. Veja os exemplos a seguir, e ficará bem mais fácil:

FRASE AFIRMATIVA NO PASSADO:

Peter worked yesterday.= Peter trabalhou ontem.

-       Nessa frase, por ser afirmativa, não há o auxiliar “did”. Por isso o verbo principal deve estar em sua forma no passado (worked).

FRASE NEGATIVA NO PASSADO:

Peter didn’t work last Saturday. = Peter não trabalhou no sábado passado.

- Nessa frase, por ser negativa, há o verbo auxiliar “did” (contraído com “not”). Por isso, apesar de a frase estar no passado, o verbo principal deve estar em sua forma do presente (work).

FRASE INTERROGATIVA NO PASSADO:

Did Peter work last Sunday? = Peter trabalhou no domingo passado?

- Nessa frase, por ser interrogativa, há o verbo auxiliar “did” antes do sujeito (Peter). Por isso, mesmo se tratando de algo ocorrido no passado, o verbo principal deve estar em sua forma do presente (work).

É muito importante lembrar que, com o verbo TO BE, jamais usamos “did”. As regras são diferentes:

  1. Forma negativa: coloca-se “not” após o verbo. Veja:

 

He was not in São Paulo yesterday. = Ele não estava em São Paulo ontem.

Pode haver a contração em “was not”:

He wasn’t in São Paulo yesterday.

 

You were not at home last night. = Você não estava em casa na noite passada.

Pode haver a contração em “were not”:

You weren’t at home last night.

 

  1. Forma interrogativa: “was” e “were” são usados antes do sujeito. Veja:

Was he in São Paulo yesterday?

Were you at home last night?

 

Cuidado, há uma exceção:

Podemos usar o verbo auxiliar “did” em frases afirmativas quando damos muita ênfase a um fato ocorrido no passado. Nesse caso, colocamos “did” antes do verbo principal, mas devemos sempre lembrar que ele deve ficar na sua forma do presente.

Dica importante: jamais use a forma do verbo no passado quando houver “did”. Veja:

A: You didn’t brush your teeth. = Você não escovou seus dentes.

B: I did brush my teeth (Eu ESCOVEI meus dentes). => Veja que essa frase, apesar de afirmativa, tem o auxiliar “did” antes do verbo principal. Por quê?

Bem simples: nesse diálogo, o personagem B quis enfatizar que, de fato, escovou os dentes, diferentemente do que fora afirmado por A.

Então? Você achou difícil? Claro que não! Porém, se ainda houver qualquer dúvida, deixe um recadinho aqui, e teremos o maior prazer em atendê-lo. O Easy English do IPR foi feito para que você não tenha dúvidas e ache tudo muito fácil. Por isso, fica a dica: Venha estudar inglês com a gente!

O Artigo definido em inglês

20 de junho de 2016

Em Português temos quatro artigos definidos: o, a, os e as. Em inglês é bem mais fácil, temos apenas o the.

Portanto, the pode significar o, a, os e as. Veja os exemplos a seguir:

                       a menina = the girl

                       o menino = the boy

                       as meninas = the girls

                       os meninos = the boys

Você não acha que é bem mais fácil do que em português? Aliás, no que se refere à gramática, em geral, a língua inglesa é bem mais simples do que a portuguesa.

No entanto, você deve prestar muita atenção à pronúncia do artigo definido the. Veja:

 

  1. Se the estiver antes de uma palavra que começa com uma letra que tem som de consoante, pronunciaremos dhã. Veja:

                       the car (dhã)

                       the book (dhã)

                       the computer (dhã)

 

  1. Por outro lado, se the estiver antes de uma palavra que começa com uma letra que tem som de vogal, pronunciaremos dhí. Veja:

                       the apple (dhí)

                       the umbrela (dhí)

                       the egg (dhí)

 

Fácil, não é? São detalhes, mas que têm muita importância! Se você tem interesse em aprender inglês de um jeito bem fácil, venha juntar-se a nós, aqui no IPR.

 

Um grande abraço!

Como se aprende inglês com mais velocidade?

5 de maio de 2016

Muitas vezes nos deparamos com esta pergunta: o que devemos fazer para aprender inglês mais rapidamente?

Vemos muitas pessoas que estudam há muito tempo, sem um resultado positivamente visível. Pois bem, aqui no IPR você verá que pode aprender de um jeito diferente, dinâmico e rápido, pois lhe daremos dicas que ajudarão em seu aprendizado.

Se você quer, de fato, dinamizar seu processo de aprendizado, antes de tudo, deve conhecer os conceitos de EFICÁCIA e EFICIÊNCIA. Confira: EFICÁCIA é atingir os objetivos, e EFICIÊNCIA é usar, para atingi-los, procedimentos que possibilitem a maior economia possível de tempo e de energia.

Se alguém levou cinco anos para aprender inglês, podemos afirmar que houve eficácia, porém podemos questionar se houve eficiência: será que essa pessoa não poderia ter aprendido em menos tempo?

Pois é… A vida é muito curta para não sermos eficientes! Temos que aprender com mais velocidade. Não podemos esperar muito tempo para aprender algo novo!

Chamamos de INPUT tudo aquilo que lemos e ouvimos em inglês. Já OUTPUT é tudo aquilo que escrevemos e falamos.

Assim, quanto mais INPUT houver, mais OUTPUT haverá, ou seja, quanto mais lermos, escreveremos e ouvirmos, mais falaremos. Também podemos dizer que quanto mais senso de urgência tivermos em ler e ouvir, melhores serão nossos resultados na aprendizagem da língua inglesa, ou seja, melhor será a eficiência e em menos tempo alcançaremos as habilidades de escrever e falar.

Para que haja mais INPUT, sugerimos que você faça o seguinte:

a) Leia muito e faça um cartão para cada nova palavra encontrada em suas leituras. Escreva a palavra em um lado do cartão e, no verso, a tradução, e acrescente exemplos de frases com essa palavra. Tente fazer cinco cartões ao dia, e revise-os diariamente. Ao final de um ano, você terá aprendido 1.825 novas palavras!

b) Ouça rádios em inglês. Lembre-se: quanto mais você ouvir uma palavra, com mais facilidade irá se lembrar dela posteriormente. As rádios têm uma vantagem sobre os programas de televisão: elas não têm períodos de silencio, nos quais se contempla imagens, como na TV. Você pode ouvir programas de rádio a qualquer hora: ao dirigir, trabalhar, tomar banho, etc.

c) Mantenha um diário e, a cada dia, faça um texto com no mínimo 500 palavras. Use as palavras novas, registradas em seus cartões ou ouvidas em programas de rádio. Use tudo o que você aprender. Lembre-se de que a escrita organiza o que foi aprendido. Assim, escreva sobre tudo o que você quiser!

d) Leia textos em inglês em voz alta; e leia mais de uma vez o mesmo texto. Assim, você acabará usando uma gramática perfeita. Erros devem ser evitados, pois, quanto mais você falar algo errado, mais dificuldade terá para corrigir.

 

Aprender um novo idioma com eficiência é um trabalho duro, mas vale a pena! Você verá que levará menos tempo do que a maioria das pessoas, o que faz muita diferença, em um mundo que anda rápido demais!

 

Um grande abraço,

 

Professor Angelo

Instituto Padre Reus

Christmas Vocabulary

6 de janeiro de 2016

Queridos amigos,

Este, sem dúvida alguma, é o momento mais especial do ano: vivemos o Natal, a virada do ano, estamos iniciando nossas férias e, ao mesmo tempo, nossa mente está fértil, cheia de planos para o ano que recém começou!

Então, este é um momento especial para reciclarmos nosso conhecimento, sobretudo aquele relacionado às celebrações de final e de início de ano.

Vamos iniciar recordando algumas palavras e expressões relacionadas a este momento mágico; essa é uma forma de iniciarmos nosso ano com vontade de conquistar, de lutar e de vencer!

CHRISTMAS = Natal

A CHRISTMAS CAROL = uma canção natalina

WRAPPING PAPER = papel de presente

CHRISTMAS TREE = pinheirinho de Natal

SANTA CLAUS ou FATHER CHRISTMAS = Papai Noel

A WREATH = uma guirlanda

A CHRISTMAS ORNAMENT = uma decoração natalina (uma bolinha, um brinquedo ou um pedaço de chocolate), que é pendurada em um pinheirinho de Natal

A WHITE CHRISTMAS = quando a neve cai em um dia de Natal

CHRISTMAS LIGHTS = luzes colocadas em praças ou ruas principais, que são acesas durante o período natalino

FAIRY LIGHTS = luzinhas que são penduradas no pinheirinho de Natal (pisca-piscas)

TINSEL = fitas brilhosas que são penduradas no pinheirinho de Natal

SECRET SANTA = amigo-secreto de Natal

BOXING DAY = o dia seguinte ao Natal, quando abrimos os presentes

THE FESTIVE PERIOD = o período próximo ao Natal e ao Ano-novo, quando há muitas festas e atividades natalinas

TO FIRST FOOT = ser a primeira pessoa a visitar amigos ou parentes no ano que se inicia

NEW YEAR’S EVE = véspera do Ano-novo

A NEW YEAR’S RESOLUTION = uma promessa de que seremos melhores (em algum aspecto), ou de que faremos algo melhor, ou de que começaremos a fazer algo de bom, no ano que está iniciando

THE BELLS = os sinos que tocam à meia-noite para anunciar que o novo ano já nasceu

Esperamos que você tenha gostado deste nosso primeiro contato! Como estamos na fase de planejamento deste ano, que tal incluir o estudo da língua inglesa em suas metas para 2016? Aqui no IPR temos a opção certa, que vai se encaixar perfeitamente naquilo que você procura: um método simples, objetivo e eficiente, com um preço surpreendente! Então, não perca tempo, venha juntar-se a nós em 2016!

Um grande abraço!