Inglês: a língua universal

Tenho sido constantemente questionado por diversos alunos: “Qual inglês devo aprender, o americano, o britânico, o australiano,…?”

Na última sexta-feira, em mais um prazeroso dia de convívio com meus queridos alunos e colegas do Instituto Padre Reus, fui inquirido novamente. De pronto, respondi que o inglês, hoje, é visto como uma língua internacional.

Isso mesmo. Devemos estar cientes de que se trata de um idioma falado em cinco continentes, em praticamente todos os países. Será difícil achar um cantinho do planeta onde inexista alguém que fale pelo menos um pouco de inglês!

David Crystal, um dos principais pesquisadores da língua inglesa, afirma que ela já se tornou a língua do mundo, haja vista os progressos políticos e econômicos das nações de língua inglesa ao longo dos últimos 200 anos. O autor diz, ainda, que há forte tendência de que continue assim, gradualmente consolidando sua posição, e traz exemplos que confirmam essa tese:

  1. 400 milhões de pessoas falam o inglês como língua nativa;
  2. outras 600 milhões a usam como segunda língua;
  3.  e outras 600 milhões falam fluentemente, como uma língua estrangeira.

Esses números têm crescido fortemente desde os anos 50 do século passado.

Há estudiosos que defendem que, hoje, 2 bilhões de pessoas falam inglês (incluindo aquelas com conhecimento básico do idioma).

Crystal nos traz um fato bem interessante, referente a um visitante que, retornando à China em 1979, depois de um período de 20 anos, disse: “Em 1959, todo mundo na China carregava o livro de pensamentos de Mao-Tsé Tung; hoje, todos levam um livro de inglês básico”.

Essa tendência foi fortalecida pelos Jogos Olímpicos de 2008, e estima-se que, hoje, 500 milhões de chineses tenham conhecimento básico de inglês.
É importante enfatizar que uma pesquisa conduzida pela UNESCO revela que o inglês é usado, oficialmente ou não, em mais de 60 países, e tem a forte possibilidade de ser agregado em mais outros 20! É a principal língua usada em livros, jornais, aeroportos, controle de tráfego aéreo, negócios internacionais, conferências acadêmicas, ciência, tecnologia, diplomacia, esportes, competições internacionais, música pop e propagandas. Mais de dois terços dos cientistas do mundo escrevem em inglês. 75% dos e-mails escritos mundialmente, e 80% de toda a informação armazenada em computadores estão nesse idioma! (CRYSTAL, 2010).

O linguista nos traz alguns depoimentos bem interessantes:

- “Quando eu aprender a falar inglês, meu pagamento como secretária aumentará em, aproximadamente, 10 vezes.” (uma secretária trainee egípcia).

- “Minha empresa planeja ter grandes negócios com os árabes. Ninguém aqui fala árabe, tampouco eles falam japonês. Todos os nossos planos são em inglês.” (um homem de negócios japonês).

- “Depois que eu aprendi inglês, senti que estava em contato com o mundo internacional pela primeira vez.” (um professor nigeriano).

- “Se eu quiser me manter atualizado com as mais recentes técnicas e produtos, devo, certamente, estar com um inglês bem forte.” (um médico indiano).

- “Quase todo mundo fala inglês na Dinamarca. Se não falássemos, não haveria ninguém com quem pudéssemos nos comunicar.” (um estudante dinamarquês).

Com tantos fatos, está evidente que o inglês que estudamos, hoje, é o do mundo, ou seja, o INGLÊS INTERNACIONAL. E não há tempo a perder: se você quer participar dessa nova ordem mundial, inicie seus estudos ainda hoje!

Ah!… Eu não poderia deixar de falar do nosso EASY ENGLISH aqui do IPR. Se você quer começar, de forma efetiva, tendo uma estrutura e professores excelentes, torne-se nosso aluno! Visite nossa página na internet e veja que o custo é baixíssimo, e o benefício, realmente, é alto.

Comece com a forma mais inteligente de se estudar, comece com a metodologia do Instituto Padre Reus!

AVISO: Todos comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Instituto Padre Reus. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou que violem direitos de terceiros. O Instituto Padre Reus poderá excluir, sem aviso prévio, comentários postados que não respeitem os critérios aqui impostos ou que estejam fora do tema proposto.

Deixe um comentário